Cerâmica de Pegões

Cerâmica de Pegões

Este projeto fotovoltaico para auto consumo com 250 kWp de potência oferece uma taxa de juros de 4,5% ao ano, com uma maturidade de 96 meses.

Empréstimo

Tipologia

Pegões

Localização

Cerâmica de Pegões

por Cerâmica de Pegões

Descrição

O objetivo deste projeto é a instalação de um sistema fotovoltaico para auto-consumo nas instalações da Cerâmica de Pegões J.G. Silva. A empresa já conhece bem a utilização fontes de energia alternativas, pois desde 2006 toda a energia necessária para a secagem e cozedura dos tijolos provem da queima de biomassa (resíduos florestais). Graças a este investimento a empresa tornou-se mais competitiva, conseguiu reduzir 97% as suas emissões de CO2 para a atmosfera e assumiu um compromisso ambiental com os seus clientes, passando a produzir tijolos ecológicos. Agora, através do financiamento colaborativo, a fábrica vai instalar um sistema fotovoltaico de 250 kWp para consumo próprio. Serão cerca de 1000 módulos fotovoltaicos que irão gerar anualmente 408217 kWh. A cerâmica irá conseguir baixar os seus custos em energia e poupar, em média, mais de 4 000€ por mês e evitar o equivalente a mais de 179 ton de emissões de CO2 anuais. Mais uma oportunidade para os investidores rentabilizarem as suas poupanças a gerar impacto positivo.

Descrição Promotor

A Cerâmica Pegões J.G. Silva nasceu em 1957 com a compra da existente Cerâmica Guerra. Recebeu o seu nome atual em 1998, em homenagem ao seu fundador, José Gomes da Silva. É a única produtora de tijolos a sul do Tejo, com uma capacidade de produção de 220 ton por dia de tijolos ecológicos. A fábrica tem um historial de sucesso e um grande compromisso ambiental. Em 2006 foi alterada a tecnologia de queima do forno de secagem que utilizava fuelóleo como fonte de energia, um combustível fóssil derivado do petróleo e indexado ao mesmo. Foi instalada uma caldeira de biomassa, num investimento superior a 500.000 €, que reduziu custos e tornou a empresa mais competitiva,  acabando com a dependência dos preços do petróleo. As emissões de 5564 ton de CO2 em 2004 baixaram de forma extraordinária para 156 ton em 2008. No seguimento desta estratégia a empresa continua o seu investimento em fontes alternativas de energia, tornando-se cada vez mais competitiva e contribuindo ao mesmo tempo para um futuro mais sustentável.