Projetos

Reflorestar Belver II

100% Montante confirmado = € 50.000,00
Montante reservado = € 0,00
€ 50.000,00
100% Financiado
3 yr

Prazo

5.5%

TANB

6 meses

Período de Carência

mensal

periodicidade

B-

rating

rural_development

Desenvolvimento rural

2. Acabar com a Fome

SDG 2. Acabar com a Fome

8. Trabalho Digno e Crescimento Económico

SDG 8. Trabalho Digno e Crescimento Económico

15. Ecossistemas Terrestres e Biodiversidade

SDG 15. Ecossistemas Terrestres e Biodiversidade

Reflorestação de 600 ha de área ardida em dois incêndios em 2017.

Impacto

Ambiental:

  • Absorção de 5.940 toneladas de CO2 por ano, através da plantação de cerca de 270.000 árvores autóctones - pinheiro manso, sobreiro e medronho;

  • Recuperação de cerca de 600 ha ardidos, através da plantação e exploração dos recursos endógenos. Para além da plantação de árvores, este projeto pressupõe, igualmente, a exploração de um rebanho de caprinos e componentes de apicultura e de agricultura;

  • Preservação e fomento da vida selvagem e da biodiversidade, através da preservação de pequenos núcleos de regeneração natural de espécies autóctones sempre que estas existam.

Social:

  • Envolvimento pleno da comunidade de mais de 130 pequenos proprietários, que são maioritariamente pessoas de idade avançada;

  • Melhoria da situação económica dos pequenos proprietários através das receitas que advêm da venda dos produtos florestais;

  • Desenvolvimento da economia local, privilegiando as empresas locais para a realização do projeto.

  • Geração de novos postos de trabalho: no futuro prevê-se a necessidade de pelo menos 5 postos de trabalho, que, numa segunda fase, aumentarão para 10. Para além destes postos de trabalho fixo, haverá também a necessidade de contratar pessoas para trabalhos sazonais (colheitas).

Informação do Projeto

Ao longo dos últimos vinte anos, quatro incêndios de grandes dimensões (2003, 2005 e dois em 2017) fustigaram a freguesia de Belver, no concelho de Gavião, região do Alentejo, causando-lhe sérios danos sociais, económicos e ambientais. Estima-se que em 2017, 85% da área florestal da freguesia tenha ardido (cerca de 5.400 ha).

Foi depois do incêndio de 2017 que a Terras de Guidintesta – Sociedade de Desenvolvimento Rural iniciou uma parceria com a Associação de Produtores Florestais da Freguesia de Belver para a reflorestação da área sob sua gestão (cerca de 600ha, com mais de 1.600 prédios rústicos que pertencem a mais de 130 pequenos proprietários) com uma floresta mais resiliente e sustentável, quer em termos económicos, quer em termos ambientais.

É assim que nasce o projeto “Reflorestar Belver”, que tem como objetivo a plantação de 270 mil árvores nesta área através de vários projetos. Este primeiro projeto requer um investimento total de cerca de 400 mil euros, 75% do qual será cofinanciado a fundo perdido pelo PDR2020 (Programa de Desenvolvimento Rural da União Europeia). O montante remanescente será financiado em três campanhas com a GoParity e com recurso a financiamento de alguns dos proprietários dos terrenos onde o projeto se desenrola.

Dado que as intervenções dependem das condições climáticas (por exemplo, apenas é aconselhável plantar no Outono), o investimento está faseado em vários anos e, por essa razão, o financiamento através da GoParity foi também dividido em várias campanhas. A primeira, que ocorreu em janeiro de 2020, permitiu a angariação de 50 mil euros em menos de 24 horas por parte de 123 investidores.

Este montante foi utilizado em ações de limpeza (por exemplo, a eliminação do arvoredo ardido) e de preparação para a plantação, sendo que à data já foram intervencionados cerca de 50 ha.

O montante angariado através desta segunda campanha será utilizado para iniciar a plantação, o que deverá acontecer a partir de outubro, depois de alguns atrasos no processo provocados pela pandemia de covid-19. Na plantação, serão privilegiadas espécies autóctones (principalmente pinheiro manso, mas também sobreiro e medronheiro).

Viabilidade Financeira

Além do financiamento de 75% a fundo perdido do PDR2020, uma iniciativa do Estado Português em conjunto com a União Europeia, a quase totalidade do projeto assenta num conceito agroflorestal (e não estritamente florestal) com fins produtivos e rendimentos. Por exemplo, a área já preparada para plantação, onde será plantado pinheiro manso, será igualmente semeada com uma cultura forrageira para a alimentação do rebanho. Além disso, a expectativa é que a exploração da pinha e do medronho permita encurtar o tempo de espera para a colheita e, assim, combater a ideia de que só o eucalipto – árvore que ao longo das últimas décadas cresceu substancialmente na freguesia – pode ser rentável a curto prazo. O financiamento pela GoParity surge como fundo de maneio para que a Terras de Guidintesta possa assegurar o arranque da execução do projeto.

100% Financiado
3 yr

Prazo

5.5%

TANB

6 meses

Período de Carência

mensal

periodicidade

B-

rating

rural_development

Desenvolvimento rural

2. Acabar com a Fome

SDG 2. Acabar com a Fome

8. Trabalho Digno e Crescimento Económico

SDG 8. Trabalho Digno e Crescimento Económico

15. Ecossistemas Terrestres e Biodiversidade

SDG 15. Ecossistemas Terrestres e Biodiversidade

Reflorestação de 600 ha de área ardida em dois incêndios em 2017.

100% Montante confirmado = € 50.000,00
Montante reservado = € 0,00
€ 50.000,00

Impacto

Ambiental:

  • Absorção de 5.940 toneladas de CO2 por ano, através da plantação de cerca de 270.000 árvores autóctones - pinheiro manso, sobreiro e medronho;

  • Recuperação de cerca de 600 ha ardidos, através da plantação e exploração dos recursos endógenos. Para além da plantação de árvores, este projeto pressupõe, igualmente, a exploração de um rebanho de caprinos e componentes de apicultura e de agricultura;

  • Preservação e fomento da vida selvagem e da biodiversidade, através da preservação de pequenos núcleos de regeneração natural de espécies autóctones sempre que estas existam.

Social:

  • Envolvimento pleno da comunidade de mais de 130 pequenos proprietários, que são maioritariamente pessoas de idade avançada;

  • Melhoria da situação económica dos pequenos proprietários através das receitas que advêm da venda dos produtos florestais;

  • Desenvolvimento da economia local, privilegiando as empresas locais para a realização do projeto.

  • Geração de novos postos de trabalho: no futuro prevê-se a necessidade de pelo menos 5 postos de trabalho, que, numa segunda fase, aumentarão para 10. Para além destes postos de trabalho fixo, haverá também a necessidade de contratar pessoas para trabalhos sazonais (colheitas).

Informação do Projeto

Ao longo dos últimos vinte anos, quatro incêndios de grandes dimensões (2003, 2005 e dois em 2017) fustigaram a freguesia de Belver, no concelho de Gavião, região do Alentejo, causando-lhe sérios danos sociais, económicos e ambientais. Estima-se que em 2017, 85% da área florestal da freguesia tenha ardido (cerca de 5.400 ha).

Foi depois do incêndio de 2017 que a Terras de Guidintesta – Sociedade de Desenvolvimento Rural iniciou uma parceria com a Associação de Produtores Florestais da Freguesia de Belver para a reflorestação da área sob sua gestão (cerca de 600ha, com mais de 1.600 prédios rústicos que pertencem a mais de 130 pequenos proprietários) com uma floresta mais resiliente e sustentável, quer em termos económicos, quer em termos ambientais.

É assim que nasce o projeto “Reflorestar Belver”, que tem como objetivo a plantação de 270 mil árvores nesta área através de vários projetos. Este primeiro projeto requer um investimento total de cerca de 400 mil euros, 75% do qual será cofinanciado a fundo perdido pelo PDR2020 (Programa de Desenvolvimento Rural da União Europeia). O montante remanescente será financiado em três campanhas com a GoParity e com recurso a financiamento de alguns dos proprietários dos terrenos onde o projeto se desenrola.

Dado que as intervenções dependem das condições climáticas (por exemplo, apenas é aconselhável plantar no Outono), o investimento está faseado em vários anos e, por essa razão, o financiamento através da GoParity foi também dividido em várias campanhas. A primeira, que ocorreu em janeiro de 2020, permitiu a angariação de 50 mil euros em menos de 24 horas por parte de 123 investidores.

Este montante foi utilizado em ações de limpeza (por exemplo, a eliminação do arvoredo ardido) e de preparação para a plantação, sendo que à data já foram intervencionados cerca de 50 ha.

O montante angariado através desta segunda campanha será utilizado para iniciar a plantação, o que deverá acontecer a partir de outubro, depois de alguns atrasos no processo provocados pela pandemia de covid-19. Na plantação, serão privilegiadas espécies autóctones (principalmente pinheiro manso, mas também sobreiro e medronheiro).

Viabilidade Financeira

Além do financiamento de 75% a fundo perdido do PDR2020, uma iniciativa do Estado Português em conjunto com a União Europeia, a quase totalidade do projeto assenta num conceito agroflorestal (e não estritamente florestal) com fins produtivos e rendimentos. Por exemplo, a área já preparada para plantação, onde será plantado pinheiro manso, será igualmente semeada com uma cultura forrageira para a alimentação do rebanho. Além disso, a expectativa é que a exploração da pinha e do medronho permita encurtar o tempo de espera para a colheita e, assim, combater a ideia de que só o eucalipto – árvore que ao longo das últimas décadas cresceu substancialmente na freguesia – pode ser rentável a curto prazo. O financiamento pela GoParity surge como fundo de maneio para que a Terras de Guidintesta possa assegurar o arranque da execução do projeto.

Terras de Guidintesta - Sociedade de Desenvolvimento Rural, Lda

Ativo desde
2012
País fiscal
Portugal
Com operações em
Belver
Indústria
Silvicultura
Empréstimos GoParity
3
Website
Sobre Terras de Guidintesta - Sociedade de Desenvolvimento Rural, Lda

A sociedade Terras de Guidintesta, gerida por Carlos Machado, engenheiro florestal, foi fundada para agregar as vontades de alguns proprietários da freguesia, que concordaram em entregar a esta empresa a gestão dos seus terrenos, os cerca de 600 hectares onde será realizada a intervenção. O financiamento visa permitir à Terras de Guidintesta a participação na parceria com a Associação de Produtores Florestais da Freguesia de Belver (APFFB). A APFFB assume o papel de supervisor da relação entre os proprietários participantes no projeto e o promotor do projeto sendo simultaneamente a entidade gestora da Zona de Intervenção Florestal da Freguesia de Belver (ZIF).


O Modelo de Negócio

O modelo de negócio da Terras de Guidintesta assenta na exploração dos recursos endógenos com base num sistema Agro-florestal, sendo que neste momento, explora já um rebanho de caprinos. No próximo ano, o promotor irá adicionar uma componente apícola com a instalação de vários apiários espalhados pela área de intervenção, potenciando assim o aproveitamento da flora local e uma componente agrícola, com o desenvolvimento de áreas dedicadas à produção de plantas aromáticas e medicinais, além dos investimentos de reflorestação que estão em curso. Tirando a componente florestal, as restantes intervenções visam gerar receitas no curto e médio prazo, permitindo assim a manutenção dos postos de trabalho e obter o rendimento necessário para a viabilidade das operações de manutenção da componente florestal até ao momento em que esta seja capaz de gerar rendimento. A aposta será sempre em produtos de elevada qualidade e com modo de produção biológico, para além da certificação da gestão florestal que se pretende também obter em breve.

Trajetória

A sociedade Terras de Guidintesta foi fundada em 2012 para agregar as vontades dos 130 pequenos proprietários da freguesia, que concordaram em entregar a esta empresa a gestão dos seus terrenos, os cerca de 600 hectares onde será realizada a intervenção. Tem como atividade a produção e comercialização de produtos agropecuários, florestais e apícolas, criação de caça em cativeiro, bem como serviços conexos ligados à transformação de produtos agropecuários e florestais e atividades de animação turística em meio rural e turismo de natureza.

Rating Promotor: B-

Garantias

Terras de Guidintesta - Sociedade de Desenvolvimento Rural, Lda

Ativo desde
2012
País fiscal
Portugal
Com operações em
Belver
Indústria
Silvicultura
Empréstimos GoParity
3
Website
Sobre Terras de Guidintesta - Sociedade de Desenvolvimento Rural, Lda

A sociedade Terras de Guidintesta, gerida por Carlos Machado, engenheiro florestal, foi fundada para agregar as vontades de alguns proprietários da freguesia, que concordaram em entregar a esta empresa a gestão dos seus terrenos, os cerca de 600 hectares onde será realizada a intervenção. O financiamento visa permitir à Terras de Guidintesta a participação na parceria com a Associação de Produtores Florestais da Freguesia de Belver (APFFB). A APFFB assume o papel de supervisor da relação entre os proprietários participantes no projeto e o promotor do projeto sendo simultaneamente a entidade gestora da Zona de Intervenção Florestal da Freguesia de Belver (ZIF).


O Modelo de Negócio

O modelo de negócio da Terras de Guidintesta assenta na exploração dos recursos endógenos com base num sistema Agro-florestal, sendo que neste momento, explora já um rebanho de caprinos. No próximo ano, o promotor irá adicionar uma componente apícola com a instalação de vários apiários espalhados pela área de intervenção, potenciando assim o aproveitamento da flora local e uma componente agrícola, com o desenvolvimento de áreas dedicadas à produção de plantas aromáticas e medicinais, além dos investimentos de reflorestação que estão em curso. Tirando a componente florestal, as restantes intervenções visam gerar receitas no curto e médio prazo, permitindo assim a manutenção dos postos de trabalho e obter o rendimento necessário para a viabilidade das operações de manutenção da componente florestal até ao momento em que esta seja capaz de gerar rendimento. A aposta será sempre em produtos de elevada qualidade e com modo de produção biológico, para além da certificação da gestão florestal que se pretende também obter em breve.

Trajetória

A sociedade Terras de Guidintesta foi fundada em 2012 para agregar as vontades dos 130 pequenos proprietários da freguesia, que concordaram em entregar a esta empresa a gestão dos seus terrenos, os cerca de 600 hectares onde será realizada a intervenção. Tem como atividade a produção e comercialização de produtos agropecuários, florestais e apícolas, criação de caça em cativeiro, bem como serviços conexos ligados à transformação de produtos agropecuários e florestais e atividades de animação turística em meio rural e turismo de natureza.

Rating Promotor: B-

Garantias

Estado dos Pagamentos: Em cumprimento

2020-11-09

Primeiro pagamento

A primeira amortização foi paga a todos os investidores

2020-10-04

100% financiado

232 investidores angariaram 50.000€

2020-09-29

Aberto a investimento

Esta campanha irá evitar a emissão de 2.970 toneladas de CO2 por ano

Estado dos Pagamentos: Em cumprimento

2020-11-09

Primeiro pagamento

A primeira amortização foi paga a todos os investidores

2020-10-04

100% financiado

232 investidores angariaram 50.000€

2020-09-29

Aberto a investimento

Esta campanha irá evitar a emissão de 2.970 toneladas de CO2 por ano