Projetos

SolarWood Hospital

0% Montante confirmado = € 0,00
Montante reservado = € 0,00
€ 100.000,00
8 yr

Prazo

6.15%

TANB

12 meses

Período de Carência

mensal

periodicidade

C+

rating

sustainable_energy

Energia Sustentável

11. Cidades e comunidades sustentáveis

SDG 11. Cidades e comunidades sustentáveis

Energias renováveis e acessíveis

SDG Energias renováveis e acessíveis

9. Indústria, Inovação e Infraestruturas

SDG 9. Indústria, Inovação e Infraestruturas

Eletricidade e água quente para hospital em Essuatíni.

Impacto

O fornecimento de eletricidade e aquecimento com recurso a energias renováveis ao Hospital Good Shepherd Mission, em Essuatíni, terá um impacto muito positivo no ambiente e na população do país.

Impacto ambiental

Atualmente, o hospital tem um consumo anual de eletricidade de 800 MWh e utiliza 300 toneladas de carvão para aquecimento de água. A eletricidade consumida vem da rede nacional, a qual é maioritáriamente produzida por centrais a carvão (76%). O facto de existirem problemas de estabilidade da rede elétrica no país, leva à necessidade de recorrer com frequência a geradores de emergência (a gasóleo). A mudança para a tecnologia SolarWood terá, assim, o seguinte impacto ambiental:

1. Substituição do carvão por biomassa certificada para o aquecimento de águas, evitando o consumo de 300 toneladas de carvão por ano;

2. Produção de eletricidade com recurso a energia solar e biomassa certificada: os geradores de gasóleo serão desativados, passando a ser utilizados apenas em situações de emergência;

3. Estabilidade do abastecimento de energia do hospital: a atual instabilidade da rede elétrica do país pode por em causa a prestação de serviços de saúde de qualidade.

Neste contexto, a mudança para a tecnologia SolarWood permitirá uma redução de 70% na emissão de gases com efeito de estufa por parte do Hospital, evitando a emissão de 1.350,3 toneladas de CO2 por ano (o equivalente a plantar 61.377 árvores).

Adicionalmente, o acesso a energia em países em desenvolvimento é um dos principais desafios no combate às alterações climáticas pois a maior parte destes países dependem de uma rede energética pouco sustentável e pouco fiável, em muitos casos produzida com recurso a combustíveis fósseis. Além da sustentabilidade dos recursos, é muito importante garantir eletricidade a um preço competitivo para os consumidores. Soluções inovadoras como a SolarWood têm, assim, um papel muito importante por abrirem o caminho à descarbonização dos países em desenvolvimento sem pôr em causa a viabilidade economico-financeira dos mesmos.

Impacto social

Lubombo é a região mais pobre de Essuatíni. O Good Shepherd Mission Hospital é a instituição responsável pelos serviços de saúde em toda a região, onde vivem cerca de 212.000 pessoas, predominantemente em áreas rurais. Além dos serviços prestados no hospital, é ainda responsável pela supervisão de 20 clínicas rurais e por uma escola de enfermagem. Este projeto terá, assim o seguinte impacto social:

1. Melhoria da qualidade dos serviços de saúde prestados: além da redução de custos com eletricidade, 15% dos benefícios obtidos pelo veículo de investimento criado para investir neste projeto serão direcionados para o Hospital. Este montante permitirá à instituição melhorar as condições dos serviços prestados bem como alargar os serviços a mais pessoas e comunidades. Atualmente, o Hospital depende de uma subvenção anual do Ministério da Saúde para prestar os serviços mencionados a todas as pessoas da região de Lubombo, a mais pobre do país, a um preço acessível;

2. Promoção da igualdade de género: a operação permitirá empregar 10 mulheres no local e a gestora local do projeto também é uma mulher. Adicionalmente, estão a tentar desenvolver uma cooperativa madeireira local para fornecimento de biomassa.

Informação do Projeto

Esta campanha servirá para cofinanciar a independência e estabilidade energética de um hospital em Essuatíni (ex-Suazilândia), o Good Shepherd Mission Hospital, através da instalação de uma solução de energia renovável que combina o recurso a biomassa com a energia do sol (“SolarWood”). O financiamento global deste projeto pioneiro é de € 950.000. A Multiply Energy, empresa promotora desta campanha, irá investir € 300.000, dos quais € 100.000 serão angariados através desta campanha; os restantes serão investidos pelo Nordic Development Fund, um fundo de cooperação internacional estabelecido pelos 5 países nórdicos da Europa (Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega e Suécia) e por uma empresa que atua no mercado local - Wundersight Investments PTY.

A dificuldade de fornecer energia com recurso a renováveis, de forma estável e eficiente em termos de custos, a locais remotos levou a Innovakeme, uma empresa portuguesa com sede no Funchal, na ilha da Madeira, a desenvolver a solução SolarWood - uma solução modular, escalável e replicável que integra a produção de energia a partir de biomassa e do sol, garantindo o fornecimento estável de eletricidade e calor a locais remotos, sem pôr em causa a viabilidade economico-financeira das regiões onde é instalada. Esta solução consiste na integração de 4 contentores fabricados de acordo com elevados padrões de qualidade da União Europeia com as seguintes funções:

  1. Produção e secagem de biomassa;
  2. Produção combinada de calor e eletricidade com recurso a biomassa;
  3. Produção de eletricidade a partir de painéis solares;
  4. Sistema de armazenamento e gestão de energia.

Depois de fabricadas, estas unidades serão enviadas para a região onde está localizado o Hospital e onde serão instaladas. O promotor do projeto encarregar-se-á de treinar uma equipa técnica que será responsável por operar a planta e de garantir a supervisão e monitorização da solução. A combinação de energia solar, biomassa e de baterias com a instalação rápida e simples tornam esta a solução perfeita para comunidades remotas. O tempo médio de toda a operação é cerca de 4-6 meses, desde o momento da encomenda até ao início da produção de energia.

A solução SolarWood recebeu apoio do Programa Madeira 14-20, um Programa Regional do Portugal 2020, um acordo de parceria adotado entre Portugal e a Comissão Europeia, que reúne a atuação dos cinco Fundos Europeus Estruturais e de Investimento.

O Good Shepherd Mission Hospital, localizado na cidade de Siteki, na região de Lubombo, em Essuatíni, foi inaugurado em 1949 pela Igreja Católica. Em 2009, passou a ser um organismo paraestatal, sendo gerido pela Igreja Católica. O hospital tem capacidade para 225 camas com uma taxa de ocupação que chega aos 130%, sendo a instituição responsável pelos serviços de saúde em toda a região de Lubombo, que ocupa mais de 1/4 da área total de Essuatíni e onde vivem cerca de 212.000 pessoas, predominantemente de áreas rurais. Além disso, o hospital é responsável pela supervisão de 20 clínicas rurais na região e tem uma escola de enfermagem.

Viabilidade financeira

O montante global de financiamento (€ 950.000) repartir-se-á da seguinte forma: € 500.000 com recurso a uma bolsa a fundo perdido do fundo de desenvolvimento Nordic Development Fund; € 300.000 investidos pela Multiply Energy (que investirá € 200.000 com recurso a capitais próprios e € 100.000 através de um empréstimo na GoParity); e € 150.000 pela  Wundersight Investiments PTY, uma empresa parceira com vários projetos no país.

Foi criada uma sociedade veículo - SPV (Special Purpose Vehicle) para desenvolver o projeto, denominada SolarWood Eswatini PTY, detida pela Multiply Energy (66,6%) e pela Wundersight Investments PTY (33,3%). Será esta SPV a celebrar contrato com Hospital e a faturar a eletricidade e calor produzidos bem como o aluger do terreno onde a solução vai estar instalada, devolvendo depois o lucro aos investidores.

Durante o primeiro ano, a produção energética vai permitir ao Hospital poupar cerca de 10% em custos com eletricidade face ao valor que paga atualmente. Nos anos seguintes e até ao final do projeto, a taxa de venda de eletricidade será 5% inferior ao aumento da tarifa EEC (Eswatini Electricity Company). Estima-se que as taxas EEC aumentarão 8% ao ano e, consequentemente, que a taxa de venda de eletricidade do projeto aumentará 3% ao ano.

Os fundos angariados com esta campanha serão libertados de acordo com as seguintes condições:

  • 50% assim que se confirmar o aumento de capital do promotor do projeto (Multiply Energy Lda);

  • 40% assim que se atingir a primeira etapa do contrato com o Nordic Development Fund, que consiste no comprovativo de que estrutura de financiamento do projeto está totalmente assegurada;

  • 10% assim que estiverem fabricados os dois primeiros contentores.

Além do impacto que tem ao nível da sustentabilidade e estabilidade do fornecimento de eletricidade, este é um projeto desenhado para ser economicamente viável.

8 yr

Prazo

6.15%

TANB

12 meses

Período de Carência

mensal

periodicidade

C+

rating

sustainable_energy

Energia Sustentável

11. Cidades e comunidades sustentáveis

SDG 11. Cidades e comunidades sustentáveis

Energias renováveis e acessíveis

SDG Energias renováveis e acessíveis

9. Indústria, Inovação e Infraestruturas

SDG 9. Indústria, Inovação e Infraestruturas

Eletricidade e água quente para hospital em Essuatíni.

0% Montante confirmado = € 0,00
Montante reservado = € 0,00
€ 100.000,00

Impacto

O fornecimento de eletricidade e aquecimento com recurso a energias renováveis ao Hospital Good Shepherd Mission, em Essuatíni, terá um impacto muito positivo no ambiente e na população do país.

Impacto ambiental

Atualmente, o hospital tem um consumo anual de eletricidade de 800 MWh e utiliza 300 toneladas de carvão para aquecimento de água. A eletricidade consumida vem da rede nacional, a qual é maioritáriamente produzida por centrais a carvão (76%). O facto de existirem problemas de estabilidade da rede elétrica no país, leva à necessidade de recorrer com frequência a geradores de emergência (a gasóleo). A mudança para a tecnologia SolarWood terá, assim, o seguinte impacto ambiental:

1. Substituição do carvão por biomassa certificada para o aquecimento de águas, evitando o consumo de 300 toneladas de carvão por ano;

2. Produção de eletricidade com recurso a energia solar e biomassa certificada: os geradores de gasóleo serão desativados, passando a ser utilizados apenas em situações de emergência;

3. Estabilidade do abastecimento de energia do hospital: a atual instabilidade da rede elétrica do país pode por em causa a prestação de serviços de saúde de qualidade.

Neste contexto, a mudança para a tecnologia SolarWood permitirá uma redução de 70% na emissão de gases com efeito de estufa por parte do Hospital, evitando a emissão de 1.350,3 toneladas de CO2 por ano (o equivalente a plantar 61.377 árvores).

Adicionalmente, o acesso a energia em países em desenvolvimento é um dos principais desafios no combate às alterações climáticas pois a maior parte destes países dependem de uma rede energética pouco sustentável e pouco fiável, em muitos casos produzida com recurso a combustíveis fósseis. Além da sustentabilidade dos recursos, é muito importante garantir eletricidade a um preço competitivo para os consumidores. Soluções inovadoras como a SolarWood têm, assim, um papel muito importante por abrirem o caminho à descarbonização dos países em desenvolvimento sem pôr em causa a viabilidade economico-financeira dos mesmos.

Impacto social

Lubombo é a região mais pobre de Essuatíni. O Good Shepherd Mission Hospital é a instituição responsável pelos serviços de saúde em toda a região, onde vivem cerca de 212.000 pessoas, predominantemente em áreas rurais. Além dos serviços prestados no hospital, é ainda responsável pela supervisão de 20 clínicas rurais e por uma escola de enfermagem. Este projeto terá, assim o seguinte impacto social:

1. Melhoria da qualidade dos serviços de saúde prestados: além da redução de custos com eletricidade, 15% dos benefícios obtidos pelo veículo de investimento criado para investir neste projeto serão direcionados para o Hospital. Este montante permitirá à instituição melhorar as condições dos serviços prestados bem como alargar os serviços a mais pessoas e comunidades. Atualmente, o Hospital depende de uma subvenção anual do Ministério da Saúde para prestar os serviços mencionados a todas as pessoas da região de Lubombo, a mais pobre do país, a um preço acessível;

2. Promoção da igualdade de género: a operação permitirá empregar 10 mulheres no local e a gestora local do projeto também é uma mulher. Adicionalmente, estão a tentar desenvolver uma cooperativa madeireira local para fornecimento de biomassa.

Informação do Projeto

Esta campanha servirá para cofinanciar a independência e estabilidade energética de um hospital em Essuatíni (ex-Suazilândia), o Good Shepherd Mission Hospital, através da instalação de uma solução de energia renovável que combina o recurso a biomassa com a energia do sol (“SolarWood”). O financiamento global deste projeto pioneiro é de € 950.000. A Multiply Energy, empresa promotora desta campanha, irá investir € 300.000, dos quais € 100.000 serão angariados através desta campanha; os restantes serão investidos pelo Nordic Development Fund, um fundo de cooperação internacional estabelecido pelos 5 países nórdicos da Europa (Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega e Suécia) e por uma empresa que atua no mercado local - Wundersight Investments PTY.

A dificuldade de fornecer energia com recurso a renováveis, de forma estável e eficiente em termos de custos, a locais remotos levou a Innovakeme, uma empresa portuguesa com sede no Funchal, na ilha da Madeira, a desenvolver a solução SolarWood - uma solução modular, escalável e replicável que integra a produção de energia a partir de biomassa e do sol, garantindo o fornecimento estável de eletricidade e calor a locais remotos, sem pôr em causa a viabilidade economico-financeira das regiões onde é instalada. Esta solução consiste na integração de 4 contentores fabricados de acordo com elevados padrões de qualidade da União Europeia com as seguintes funções:

  1. Produção e secagem de biomassa;
  2. Produção combinada de calor e eletricidade com recurso a biomassa;
  3. Produção de eletricidade a partir de painéis solares;
  4. Sistema de armazenamento e gestão de energia.

Depois de fabricadas, estas unidades serão enviadas para a região onde está localizado o Hospital e onde serão instaladas. O promotor do projeto encarregar-se-á de treinar uma equipa técnica que será responsável por operar a planta e de garantir a supervisão e monitorização da solução. A combinação de energia solar, biomassa e de baterias com a instalação rápida e simples tornam esta a solução perfeita para comunidades remotas. O tempo médio de toda a operação é cerca de 4-6 meses, desde o momento da encomenda até ao início da produção de energia.

A solução SolarWood recebeu apoio do Programa Madeira 14-20, um Programa Regional do Portugal 2020, um acordo de parceria adotado entre Portugal e a Comissão Europeia, que reúne a atuação dos cinco Fundos Europeus Estruturais e de Investimento.

O Good Shepherd Mission Hospital, localizado na cidade de Siteki, na região de Lubombo, em Essuatíni, foi inaugurado em 1949 pela Igreja Católica. Em 2009, passou a ser um organismo paraestatal, sendo gerido pela Igreja Católica. O hospital tem capacidade para 225 camas com uma taxa de ocupação que chega aos 130%, sendo a instituição responsável pelos serviços de saúde em toda a região de Lubombo, que ocupa mais de 1/4 da área total de Essuatíni e onde vivem cerca de 212.000 pessoas, predominantemente de áreas rurais. Além disso, o hospital é responsável pela supervisão de 20 clínicas rurais na região e tem uma escola de enfermagem.

Viabilidade financeira

O montante global de financiamento (€ 950.000) repartir-se-á da seguinte forma: € 500.000 com recurso a uma bolsa a fundo perdido do fundo de desenvolvimento Nordic Development Fund; € 300.000 investidos pela Multiply Energy (que investirá € 200.000 com recurso a capitais próprios e € 100.000 através de um empréstimo na GoParity); e € 150.000 pela  Wundersight Investiments PTY, uma empresa parceira com vários projetos no país.

Foi criada uma sociedade veículo - SPV (Special Purpose Vehicle) para desenvolver o projeto, denominada SolarWood Eswatini PTY, detida pela Multiply Energy (66,6%) e pela Wundersight Investments PTY (33,3%). Será esta SPV a celebrar contrato com Hospital e a faturar a eletricidade e calor produzidos bem como o aluger do terreno onde a solução vai estar instalada, devolvendo depois o lucro aos investidores.

Durante o primeiro ano, a produção energética vai permitir ao Hospital poupar cerca de 10% em custos com eletricidade face ao valor que paga atualmente. Nos anos seguintes e até ao final do projeto, a taxa de venda de eletricidade será 5% inferior ao aumento da tarifa EEC (Eswatini Electricity Company). Estima-se que as taxas EEC aumentarão 8% ao ano e, consequentemente, que a taxa de venda de eletricidade do projeto aumentará 3% ao ano.

Os fundos angariados com esta campanha serão libertados de acordo com as seguintes condições:

  • 50% assim que se confirmar o aumento de capital do promotor do projeto (Multiply Energy Lda);

  • 40% assim que se atingir a primeira etapa do contrato com o Nordic Development Fund, que consiste no comprovativo de que estrutura de financiamento do projeto está totalmente assegurada;

  • 10% assim que estiverem fabricados os dois primeiros contentores.

Além do impacto que tem ao nível da sustentabilidade e estabilidade do fornecimento de eletricidade, este é um projeto desenhado para ser economicamente viável.

Multiply Energy LDA

Ativo desde
2017
País fiscal
Portugal
Com operações em
Portugal, Espanha e Essuatíni
Indústria
Gestão de investimento energético
Empréstimos GoParity
1
Website
Sobre Multiply Energy LDA

O promotor desta campanha é a Multiply Energy Lda, uma empresa portuguesa com sede em Évora, fundada em 2017. Atualmente, o diretor da empresa é António Elvas, que tem mais de 30 anos de experiência nacional e internacional em consultoria de projetos de energia renovável.

Os atuais sócios da empresa são a Planeta Revelação SGPS LDA, a VSM Capital SGPS SA, a Recreio Poente LDA e a JF Digital Energy, Lda e os seus clientes são investidores em projetos de energia.

A empresa está neste momento a desenvolver quatro projetos de energia fotovoltaica de grande dimensão (com um total de 47.3 MW): em Torres Novas (8,9 MW); no Sabugal (10,9 MW); em Santarém (22,5 MW) e nos Açores (5 MW).

A empresa responsável pelo desenvolvimento do produto Solarwood é a Innovakeme. Com sede no Funchal, na ilha da Madeira, está a trabalhar no desenvolvimento desta integração desde 2017, dispondo de relatórios de medição solar em Essuatíni.

Foi ainda criada uma sociedade veículo – a Solarwood Eswatini Ltd - detidada pela Multiply Energy (em 66,6%) e pela Wundersight Investments PTY (33,3%). Será esta entidade a celebrar contrato com o Hospital e a faturar a eletricidade e calor produzidos bem como o aluguer do terreno onde a solução vai ser instalada, devolvendo depois o lucro aos investidores.

Embora este seja o primeiro projeto da Multiply Energy Lda em Essuatíni, o Grupo Wundersight foi fundado em 2006 em Guadalajara, Espanha. A filial Wundersight Investments PTY Ltd já desenvolveu três projetos no país. Com vários anos de experiência no Reino Unido, Espanha, França, Portugal, Argentina, República Dominicana, a empresa já desenvolveu dois projetos de energia fotovoltaica em Essuatíni (o Buckswood House com 100 kW - o primeiro projeto de energia solar fotovoltaica com conexão à rede nacional em 2016; e o Wunder Solar I 850 kW - o segundo projeto a consegui-lo). Atualmente, está a desenvolver o terceiro - Wunder Solar II, 21.6 MW e 15 MW de armazenamento  - com uma produção de mais de 76 GWh por ano, cobrirá cerca de 6,40% das necessidades energéticas do país, sendo a única empresa no pais com licença para operar estes projetos com ligação à rede.

O Modelo de Negócio

A Multiply Energy Lda gere investimentos em múltiplos projetos de energia renovável, recorrendo à sua carteira de investidores para o fazer. Para cada projeto, é criado um veículo de inestimento próprio que é participado pela empresa e que fica responsável pela gestão e venda da energia. Esta entidade devolve depois o lucro aos seus investidores e à Multiply. A empresa fica assim responsável por tomar as decisões de investimento e por gerir os projetos através das SPVs criadas para o efeito.

Trajetória

Fundada em 2017, a Multiply Energy Lda tem já quatro projetos de energia fotovoltaica em desenvolvimento em Portugal com cerca de 47,3 MW de potência nominal e um valor de mercado de € 3.5M, o que representa um valor de mercado de 75.000€ por kW.

Este é o primeiro projeto da empresa em Essuatíni. Nos próximos cinco anos, o objetivo é desenvolver projetos com uma potência total de 250 MW de energia renovável entre Portugal e Espanha.

Rating Promotor: C+

Garantias

Este projeto não tem garantias. O hospital não conseguir pagar pode colocar em causa a sustentabilidade financeira do promotor. No entanto, a bolsa do Nordic Development Fund a fundo perdido, permite mitigar largamente o risco deste projeto, tornando-o financeiramente viável.

Multiply Energy LDA

Ativo desde
2017
País fiscal
Portugal
Com operações em
Portugal, Espanha e Essuatíni
Indústria
Gestão de investimento energético
Empréstimos GoParity
1
Website
Sobre Multiply Energy LDA

O promotor desta campanha é a Multiply Energy Lda, uma empresa portuguesa com sede em Évora, fundada em 2017. Atualmente, o diretor da empresa é António Elvas, que tem mais de 30 anos de experiência nacional e internacional em consultoria de projetos de energia renovável.

Os atuais sócios da empresa são a Planeta Revelação SGPS LDA, a VSM Capital SGPS SA, a Recreio Poente LDA e a JF Digital Energy, Lda e os seus clientes são investidores em projetos de energia.

A empresa está neste momento a desenvolver quatro projetos de energia fotovoltaica de grande dimensão (com um total de 47.3 MW): em Torres Novas (8,9 MW); no Sabugal (10,9 MW); em Santarém (22,5 MW) e nos Açores (5 MW).

A empresa responsável pelo desenvolvimento do produto Solarwood é a Innovakeme. Com sede no Funchal, na ilha da Madeira, está a trabalhar no desenvolvimento desta integração desde 2017, dispondo de relatórios de medição solar em Essuatíni.

Foi ainda criada uma sociedade veículo – a Solarwood Eswatini Ltd - detidada pela Multiply Energy (em 66,6%) e pela Wundersight Investments PTY (33,3%). Será esta entidade a celebrar contrato com o Hospital e a faturar a eletricidade e calor produzidos bem como o aluguer do terreno onde a solução vai ser instalada, devolvendo depois o lucro aos investidores.

Embora este seja o primeiro projeto da Multiply Energy Lda em Essuatíni, o Grupo Wundersight foi fundado em 2006 em Guadalajara, Espanha. A filial Wundersight Investments PTY Ltd já desenvolveu três projetos no país. Com vários anos de experiência no Reino Unido, Espanha, França, Portugal, Argentina, República Dominicana, a empresa já desenvolveu dois projetos de energia fotovoltaica em Essuatíni (o Buckswood House com 100 kW - o primeiro projeto de energia solar fotovoltaica com conexão à rede nacional em 2016; e o Wunder Solar I 850 kW - o segundo projeto a consegui-lo). Atualmente, está a desenvolver o terceiro - Wunder Solar II, 21.6 MW e 15 MW de armazenamento  - com uma produção de mais de 76 GWh por ano, cobrirá cerca de 6,40% das necessidades energéticas do país, sendo a única empresa no pais com licença para operar estes projetos com ligação à rede.

O Modelo de Negócio

A Multiply Energy Lda gere investimentos em múltiplos projetos de energia renovável, recorrendo à sua carteira de investidores para o fazer. Para cada projeto, é criado um veículo de inestimento próprio que é participado pela empresa e que fica responsável pela gestão e venda da energia. Esta entidade devolve depois o lucro aos seus investidores e à Multiply. A empresa fica assim responsável por tomar as decisões de investimento e por gerir os projetos através das SPVs criadas para o efeito.

Trajetória

Fundada em 2017, a Multiply Energy Lda tem já quatro projetos de energia fotovoltaica em desenvolvimento em Portugal com cerca de 47,3 MW de potência nominal e um valor de mercado de € 3.5M, o que representa um valor de mercado de 75.000€ por kW.

Este é o primeiro projeto da empresa em Essuatíni. Nos próximos cinco anos, o objetivo é desenvolver projetos com uma potência total de 250 MW de energia renovável entre Portugal e Espanha.

Rating Promotor: C+

Garantias

Este projeto não tem garantias. O hospital não conseguir pagar pode colocar em causa a sustentabilidade financeira do promotor. No entanto, a bolsa do Nordic Development Fund a fundo perdido, permite mitigar largamente o risco deste projeto, tornando-o financeiramente viável.

Estado dos Pagamentos: Em cumprimento

2020-08-06

Prolongamento da campanha

A data de fim da campanha foi prolongada para 15/09/2020.

Estado dos Pagamentos: Em cumprimento

2020-08-06

Prolongamento da campanha

A data de fim da campanha foi prolongada para 15/09/2020.