Projetos

Oysterworld I

100% Montante confirmado = € 125.000,00
Montante reservado = € 0,00
€ 125.000,00
100% Financiado
2 yr

Prazo

5.2%

TANB

6 meses

Período de Carência

mensal

periodicidade

B-

rating

blue_economy

Economia do mar

8. Trabalho Digno e Crescimento Económico

SDG 8. Trabalho Digno e Crescimento Económico

Equipamento para produção sustentável de ostras in Setúbal.

Impacto

O sector de extração de ostras é caracterizado por técnicas tradicionais e trabalho intensivo. A Oysterworld posiciona-se como uma das empresas mais inovadoras deste sector em Portugal, procurando novos métodos tecnológicos que não só vão assegurar a sua competitividade num mercado crescente, como garantir melhores condições de trabalho e um produto com mais qualidade.

Este projeto tem um impacto social e ambiental muito positivo estando alinhado com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, contribuindo para:

  • Produção e consumo sustentável: a produção ostreícola tem um impacto positivo no ambiente marinho, ao atuar como um filtro e melhorar a qualidade da água (uma ostra filtra, em média, 55 litros de água por dia), ao reduzir a pressão que a pesca extrativa exerce sobre os recursos naturais (não utiliza antibióticos ou outros fármacos nem rações).

  • Igualdade de género: O trabalho no sector da pesca está ocupado maioritariamente por homens devido ao baixo nível de mecanização e automatização que implica a necessidade de força bruta, para a qual os homens estão melhor preparados. Este projeto abre a porta à contratação de mais mulheres. De facto 50%, dos empregados da Oysterworld são mulheres.

  • Melhoria das condições de trabalho: as tarefas que requerem a produção de ostras são fisicamente difíceis, podendo conduzir a lesões, queimaduras na pele, feridas, levando ao esgotamento físico dos trabalhadores. As melhorias desta técnica reduzem o esgotamento físico dos empregados, aumentando a sua produtividade. Além disso, o salário médio da empresa é superior à média do pago neste sector.

  • Sustentabilidade da comunidade: as comunidades circundantes vivem sobretudo de trabalhos temporários no sector agrícola. A produção ostreícola vem proporcionar emprego fixo durante todo o ano.

“É um projeto único que combina impacto ambiental positivo com crescimento de uma indústria com potencial elevado de exportação e de criação de trabalho para as comunidades locais” explica Nuno Brito Jorge, o CEO da GoParity.

Informação do Projeto

A Oysterworld é uma empresa portuguesa fundada em 2013, tem como atividade a produção e comercialização de bivalves, nomeadamente ostras, tendo como principais mercados Espanha, França e Holanda.

Em 2017, a empresa aumentou a sua capacidade produtiva em 400% (para 360 toneladas). Para isso, investiu num novo equipamento produtivo, um método inovador testado no estrangeiro que a diferenciará da concorrência, e que permitirá a utilização do sistema de “cestos rotativos” denominado sistema Australiano (Hexcyl Rotative Baskets). Este método permite a rotação automática das ostras em cada maré e ajudará a empresa a expandir a produção de ostras em Setúbal, onde têm uma área de 18 héctares.

Este projeto requer um investimento global de 2,1M€, a ser realizado entre 2019 e 2020. A empresa já obteve um financiamento a fundo perdido do programa MAR 2020, no montante de 1,07M€. O remanescente será financiado por capitais próprios e uma linha de financiamento de longo prazo. Atendendo a que a linha do programa do Mar 2020 é libertada com prazos que o promotor não controla, a Oysterworld recorre à GoPartity no sentido de montar um conjunto de campanhas de financiamento colaborativo durante o período do investimento, até um montante global de 1M€, que funcionarão como adiantamentos dos fundos a receber do Mar 2020. Esta será a primeira campanha, num montante de 125.000€ e maturidade de 24 meses.

Viabilidade Financeira

Em dezembro de 2018, os ativos totais da empresa eram superiores a 2,40M€ (1.8M€ em capital e 635.000€ em passivo). Adicionalmente, o projeto trará os seguintes resultados:

  • Redução de custos operacionais em 70%

  • Redução do tempo de criação da ostra

  • Melhoria da qualidade da ostra

  • Aumento do preço médio de venda (consequência da melhoria do produto)

Adicionalmente, com este projeto a Oysterworld pretende dar resposta a um mercado de elevada procura, com taxas de escoamento de 100% nos últimos anos e com uma intensidade exportadora superior a 90%.

100% Financiado
2 yr

Prazo

5.2%

TANB

6 meses

Período de Carência

mensal

periodicidade

B-

rating

blue_economy

Economia do mar

8. Trabalho Digno e Crescimento Económico

SDG 8. Trabalho Digno e Crescimento Económico

Equipamento para produção sustentável de ostras in Setúbal.

100% Montante confirmado = € 125.000,00
Montante reservado = € 0,00
€ 125.000,00

Impacto

O sector de extração de ostras é caracterizado por técnicas tradicionais e trabalho intensivo. A Oysterworld posiciona-se como uma das empresas mais inovadoras deste sector em Portugal, procurando novos métodos tecnológicos que não só vão assegurar a sua competitividade num mercado crescente, como garantir melhores condições de trabalho e um produto com mais qualidade.

Este projeto tem um impacto social e ambiental muito positivo estando alinhado com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, contribuindo para:

  • Produção e consumo sustentável: a produção ostreícola tem um impacto positivo no ambiente marinho, ao atuar como um filtro e melhorar a qualidade da água (uma ostra filtra, em média, 55 litros de água por dia), ao reduzir a pressão que a pesca extrativa exerce sobre os recursos naturais (não utiliza antibióticos ou outros fármacos nem rações).

  • Igualdade de género: O trabalho no sector da pesca está ocupado maioritariamente por homens devido ao baixo nível de mecanização e automatização que implica a necessidade de força bruta, para a qual os homens estão melhor preparados. Este projeto abre a porta à contratação de mais mulheres. De facto 50%, dos empregados da Oysterworld são mulheres.

  • Melhoria das condições de trabalho: as tarefas que requerem a produção de ostras são fisicamente difíceis, podendo conduzir a lesões, queimaduras na pele, feridas, levando ao esgotamento físico dos trabalhadores. As melhorias desta técnica reduzem o esgotamento físico dos empregados, aumentando a sua produtividade. Além disso, o salário médio da empresa é superior à média do pago neste sector.

  • Sustentabilidade da comunidade: as comunidades circundantes vivem sobretudo de trabalhos temporários no sector agrícola. A produção ostreícola vem proporcionar emprego fixo durante todo o ano.

“É um projeto único que combina impacto ambiental positivo com crescimento de uma indústria com potencial elevado de exportação e de criação de trabalho para as comunidades locais” explica Nuno Brito Jorge, o CEO da GoParity.

Informação do Projeto

A Oysterworld é uma empresa portuguesa fundada em 2013, tem como atividade a produção e comercialização de bivalves, nomeadamente ostras, tendo como principais mercados Espanha, França e Holanda.

Em 2017, a empresa aumentou a sua capacidade produtiva em 400% (para 360 toneladas). Para isso, investiu num novo equipamento produtivo, um método inovador testado no estrangeiro que a diferenciará da concorrência, e que permitirá a utilização do sistema de “cestos rotativos” denominado sistema Australiano (Hexcyl Rotative Baskets). Este método permite a rotação automática das ostras em cada maré e ajudará a empresa a expandir a produção de ostras em Setúbal, onde têm uma área de 18 héctares.

Este projeto requer um investimento global de 2,1M€, a ser realizado entre 2019 e 2020. A empresa já obteve um financiamento a fundo perdido do programa MAR 2020, no montante de 1,07M€. O remanescente será financiado por capitais próprios e uma linha de financiamento de longo prazo. Atendendo a que a linha do programa do Mar 2020 é libertada com prazos que o promotor não controla, a Oysterworld recorre à GoPartity no sentido de montar um conjunto de campanhas de financiamento colaborativo durante o período do investimento, até um montante global de 1M€, que funcionarão como adiantamentos dos fundos a receber do Mar 2020. Esta será a primeira campanha, num montante de 125.000€ e maturidade de 24 meses.

Viabilidade Financeira

Em dezembro de 2018, os ativos totais da empresa eram superiores a 2,40M€ (1.8M€ em capital e 635.000€ em passivo). Adicionalmente, o projeto trará os seguintes resultados:

  • Redução de custos operacionais em 70%

  • Redução do tempo de criação da ostra

  • Melhoria da qualidade da ostra

  • Aumento do preço médio de venda (consequência da melhoria do produto)

Adicionalmente, com este projeto a Oysterworld pretende dar resposta a um mercado de elevada procura, com taxas de escoamento de 100% nos últimos anos e com uma intensidade exportadora superior a 90%.

OYSTERWORLD, LDA.

Ativo desde
2013
País fiscal
Portugal
Com operações em
Setúbal
Indústria
Cultivo de Ostras
Empréstimos GoParity
3
Website
Sobre OYSTERWORLD, LDA.

Francisco Bernardino, o atual sócio e chefe de produção, fundou a Oysterworld em 2013. Francisco e o seu sócio e Diretor Comercial/Financeiro, Lopo Rocha, têm mais de 10 anos de experiência na indústria das ostras. A empresa, que se dedica à produção sustentável de ostras, tem uma área de 18 ha em Setúbal e conta com 16 funcionários, incluindo biólogos, engenheiros mecânicos e químicos e peritos financeiros. Para o desenvolvimento da sua atividade, a empresa conta com 2 marinhas – Canes e Alcaçarenha & Cobelos, localizados em Vale de Judeus, Freguesia de Gambia – Pontes, Alto da Guerra, Concelho de Setúbal. As marinhas têm uma área conjunta de mais de 20 hectares e estão inseridas na Reserva Natural do Estuário do Sado. A peculiaridade destas marinhas torna-as ideais para o desenvolvimento de uma ostreicultura, nomeadamente ao que respeita às condições hidrográficas (marés), níveis de salinidade e riqueza de fitoplâncton.

O Modelo de Negócio

A Oysterworld dedica-se à criação sustentável de bivalves, mais precisamente de ostras, desde 2013. A empresa tem um capital social de 400.000€ e exporta a maioria da produção para países europeus, principalmente Espanha, França e Holanda. A estratégia comercial da empresa tem por base não depender de um só cliente para mais de 20% das vendas da empresa.

Trajetória

Francisco Bernardino, sócio atual e chefe de produção, foi fundador da Oysterworld. A Oysterworld dedica-se à produção sustentável de ostras. O Francisco e o seu sócio, Lopo Rocha, têm mais de 10 anos de experiência na indústria das ostras.

Francisco, mestre em Biologia Marinha teve toda a sua carreira no sector, desenvolveu diversos trabalhos de consultoria e tendo participado em 2 startups de aquacultura. Ao longo do seu percurso, teve a oportunidade de desenvolver projetos de produção offshore, tanto de bivalves como de peixe, desenvolver estudos de viabilidade de aquacultura, desenvolver circuitos de produção de ostras, entre outros projetos. Ainda, de referir, que o Francisco detém 11 anos de experiência pela Direção Geral das Pescas (atual DGRM) como técnico superior de aquacultura, tendo inclusive atuado como representante dos interesses de Portugal perante a Comissão Europeia.

Em 2017, a empresa aumentou a capacidade de produção em 400% (para 360 toneladas).

É uma das empresas mais inovadoras da indústria agrícola em Portugal e exporta a sua produção maioritariamente para Espanha, França e Holanda.

Rating Promotor: B-

Garantias

Este empréstimo tem a garantia adicional de um aval pessoal do sócio Francisco Bernardino.

OYSTERWORLD, LDA.

Ativo desde
2013
País fiscal
Portugal
Com operações em
Setúbal
Indústria
Cultivo de Ostras
Empréstimos GoParity
3
Website
Sobre OYSTERWORLD, LDA.
Francisco Bernardino, o atual sócio e chefe de produção, fundou a Oysterworld em 2013. Francisco e o seu sócio e Diretor Comercial/Financeiro, Lopo Rocha, têm mais de 10 anos de experiência na indústria das ostras. A empresa, que se dedica à produção sustentável de ostras, tem uma área de 18 ha em Setúbal e conta com 16 funcionários, incluindo biólogos, engenheiros mecânicos e químicos e peritos financeiros. Para o desenvolvimento da sua atividade, a empresa conta com 2 marinhas – Canes e Alcaçarenha & Cobelos, localizados em Vale de Judeus, Freguesia de Gambia – Pontes, Alto da Guerra, Concelho de Setúbal. As marinhas têm uma área conjunta de mais de 20 hectares e estão inseridas na Reserva Natural do Estuário do Sado. A peculiaridade destas marinhas torna-as ideais para o desenvolvimento de uma ostreicultura, nomeadamente ao que respeita às condições hidrográficas (marés), níveis de salinidade e riqueza de fitoplâncton.
O Modelo de Negócio

A Oysterworld dedica-se à criação sustentável de bivalves, mais precisamente de ostras, desde 2013. A empresa tem um capital social de 400.000€ e exporta a maioria da produção para países europeus, principalmente Espanha, França e Holanda. A estratégia comercial da empresa tem por base não depender de um só cliente para mais de 20% das vendas da empresa.

Trajetória

Francisco Bernardino, sócio atual e chefe de produção, foi fundador da Oysterworld. A Oysterworld dedica-se à produção sustentável de ostras. O Francisco e o seu sócio, Lopo Rocha, têm mais de 10 anos de experiência na indústria das ostras.

Francisco, mestre em Biologia Marinha teve toda a sua carreira no sector, desenvolveu diversos trabalhos de consultoria e tendo participado em 2 startups de aquacultura. Ao longo do seu percurso, teve a oportunidade de desenvolver projetos de produção offshore, tanto de bivalves como de peixe, desenvolver estudos de viabilidade de aquacultura, desenvolver circuitos de produção de ostras, entre outros projetos. Ainda, de referir, que o Francisco detém 11 anos de experiência pela Direção Geral das Pescas (atual DGRM) como técnico superior de aquacultura, tendo inclusive atuado como representante dos interesses de Portugal perante a Comissão Europeia.

Em 2017, a empresa aumentou a capacidade de produção em 400% (para 360 toneladas).

É uma das empresas mais inovadoras da indústria agrícola em Portugal e exporta a sua produção maioritariamente para Espanha, França e Holanda.

Rating Promotor: B-

Garantias

Este empréstimo tem a garantia adicional de um aval pessoal do sócio Francisco Bernardino.

Estado dos Pagamentos: Em incumprimento

2020-04-10

Abril de 2020

2020-03-10

Março de 2020

Aumento de capital de 100.000€.

Alteração do montante total de investimento no âmbito do MAR2020 para 1.6M€.

2019-08-18

1º pagamento

2019-07-10

100% financiado

2019-07-04

Aberto para investimento

Estado dos Pagamentos: Em incumprimento

2020-04-10

Abril de 2020

2020-03-10

Março de 2020

Aumento de capital de 100.000€.

Alteração do montante total de investimento no âmbito do MAR2020 para 1.6M€.

2019-08-18

1º pagamento

2019-07-10

100% financiado

2019-07-04

Aberto para investimento