Projetos

Agricultura Peruana Resiliente II

100% Montante confirmado = € 100.000,00
Montante reservado = € 0,00
€ 100.000,00
100% Financiado
3 mth

Prazo

5%

TANB

trimestral

periodicidade

B+

rating

rural_development

Desenvolvimento rural

2. Acabar com a Fome

SDG 2. Acabar com a Fome

8. Trabalho Digno e Crescimento Económico

SDG 8. Trabalho Digno e Crescimento Económico

11. Cidades e comunidades sustentáveis

SDG 11. Cidades e comunidades sustentáveis

Cooperativa de pequenos produtores de café no Peru.

Impacto

Do Projeto

  • Promovendo uma cadeia de valor inclusiva ao juntar 3.200 produtores de café com participação ativa no trabalho da Cooperativa;

  • Melhorando as condições financeiras e de trabalho de pequenos agricultores: 93% dos 3.200 produtores possuem terrenos com menos de 5 hectares;

  • Facilitando a missão social da Cooperativa: ao garantir pagamentos antecipados a um preço premium à Cooperativa, esta consegue reinvestir o dinheiro das vendas em formação, educação, apoio social aos agricultores e suas famílias, apoio nos cuidados de saúde e na certificação do café como produto biológico e de comércio justo;

  • Reduzindo a pobreza rural: os pequenos agricultores conseguirão obter uma margem de lucro mais elevada que pode ser utilizada não apenas na sua subsistência, e terão também acesso a maiores mais mercados nacionais e internacionais;

  • Promovendo o crescimento de produtos biológicos: todo o café produzido é biológico e certificado, contendo baixos níveis de fertilizantes, químicos e pesticidas;

  • Contribuindo para a proteção da região no Norte do Perú: até agora, o crescimento tem sido principalmente alcançado através da criação de novas áreas para agricultura comercial, o que resulta na destruição da Amazónia, um crescimento que não é sustentável e tem um custo ambiental muito elevado. O projeto permitirá investir em métodos de produção mais eficiente, permitindo aos produtores crescer de forma mais sustentável.

Da Working Capital Associates

  • Contribuindo para a eficiência agrícola e redução da pobreza rural: o acesso aos mercados foi identificado como um dos principais fatores que influenciam o desempenho de pequenos produtores nos países em desenvolvimento, e, desta forma, é um dos potenciadores de eficiência agrícola, sendo vital para reduzir a pobreza rural. A WCA contribuiu ativamente para o maior acesso de pequenos agricultores a mercados nacionais e internacionais;

  • Promovendo a igualdade de géneros: a WCA é liderada por uma mulher; e aplica uma “lente de género” nos seus investimentos, procurando financiar empresas com uma gestão sustentável e responsável que permitam às mulheres crescer no seu ambiente laboral;

Informação do Projeto

O objetivo desta campanha é proporcionar financiamento antecipado a uma Cooperativa composta por 3.200 famílias produtoras de café certificado e biológico, nas montanhas do Norte do Perú, a mais de 1.000 metros de altitude.

Estas famílias (93% das quais são pequenos agricultores, que detêm menos de 5 hectares de terra) estão agregadas numa única entidade de caráter social – uma cooperativa – cujo objetivo é prestar aos agricultores serviços ambientais, sociais e de governação (ESG) de forma a melhorar a sua produtividade e responder às suas necessidades sociais. Estes serviços incluem formação, apoio ao bem-estar, à família e à saúde, e ainda apoio na certificação dos seus negócios como comércio equitativo (fair-trade) e de agricultura biológica.

O crescimento da produção de café biológico nestas regiões aumentou exponencialmente nos últimos 20 anos, posicionando o Perú como um dos principais produtores deste café no mundo (com cerca de 90.000 hectares de solo biológico certificado, o Perú é o segundo maior exportador de café biológico no mundo), um mercado que gera cerca de 1,5 milhões de postos de trabalho, e envolve cerca de 223.000 famílias. Este crescimento não foi, no entanto, totalmente intencional - os produtos contêm níveis baixos de adubos químicos e de pesticidas devido ao custo elevado destes componentes, um custo que os produtores não podiam suportar, mas que os consumidores viam como uma vantagem.

Para atender a esta crescente procura e como consequência de métodos de produção pouco eficientes, o crescimento nestas regiões foi principalmente obtido através da criação de novas áreas de agricultura comercial, provocando a deflorestação da Amazónia, o que torna este crescimento crescimento insustentável, com um custo ambiental muito elevado.

É prática comum no comércio que o prazo de pagamento varie entre 30 a 90 dias a contar da data de emissão da fatura pelo vendedor. Este prazo, que permite ao comprador manter os seus fundos durante mais tempo, penaliza o vendedor, retirando-lhe liquidez. Geralmente, este problema é resolvida com recurso a financiamento bancário, que exige garantias sobre ativos duradouros (ou seja, fábricas, edifícios, máquinas, etc.) em caso de incumprimento. Estas garantias “excessivas” têm muitas vezes um valor substancialmente mais elevado do que o empréstimo em questão. Por exemplo, um empréstimo de 10 dólares poderá exigir um ativo no valor de 150 dólares como garantia em caso de incumprimento. Assim, estes empréstimos raramente resolvem o problema, uma vez que estas garantias raramente estão ao alcance dos pequenos agricultores, cujos únicos ativos são geralmente os seus terrenos.

Os fundos angariados através desta campanha serão utilizados como transactional working capital (capital circulante transacional), garantindo liquidez à Cooperativa. O capital circulante transacional é um ativo financeiro de dívida de curto prazo que permitirá à Cooperativa receber pagamentos antecipados e aos seus clientes atrasar os seus pagamentos. Este empréstimo tem assim as seguintes vantagens:

  • Preços mais elevados: ao eliminar a pressão da liquidez, os produtores deixam de ser obrigados a fornecer descontos ao comprador, em troca de pagamento antecipado, recebendo um preço mais elevado pelo café que reflete o seu valor real;

  • Margem de lucro mais elevada que pode ser reinvestida: com uma margem de lucro mais elevada, este dinheiro garante não só a estabilidade financeira dos produtores, mas pode ser também utilizado para investimento em formação e capacitação, e em custos com a certificação de produção biológica, de comércio justo ("fair trade").

Viabilidade Financeira

O empréstimo obtido através dos investidores da GoParity será pago pelas vendas de café da seguinte forma:

  • O valor do empréstimo é consideravelmente inferior ao montante total financiado pela WCA – o que irá criar uma almofada financeira;

  • O reembolso provém de compradores de mercados ocidentais com histórico de pagamentos bem-sucedidos à Cooperativa durante vários anos;

  • O pagamento do empréstimo é protegido pelo seguro de crédito comercial.

100% Financiado
3 mth

Prazo

5%

TANB

trimestral

periodicidade

B+

rating

rural_development

Desenvolvimento rural

2. Acabar com a Fome

SDG 2. Acabar com a Fome

8. Trabalho Digno e Crescimento Económico

SDG 8. Trabalho Digno e Crescimento Económico

11. Cidades e comunidades sustentáveis

SDG 11. Cidades e comunidades sustentáveis

Cooperativa de pequenos produtores de café no Peru.

100% Montante confirmado = € 100.000,00
Montante reservado = € 0,00
€ 100.000,00

Impacto

Do Projeto

  • Promovendo uma cadeia de valor inclusiva ao juntar 3.200 produtores de café com participação ativa no trabalho da Cooperativa;

  • Melhorando as condições financeiras e de trabalho de pequenos agricultores: 93% dos 3.200 produtores possuem terrenos com menos de 5 hectares;

  • Facilitando a missão social da Cooperativa: ao garantir pagamentos antecipados a um preço premium à Cooperativa, esta consegue reinvestir o dinheiro das vendas em formação, educação, apoio social aos agricultores e suas famílias, apoio nos cuidados de saúde e na certificação do café como produto biológico e de comércio justo;

  • Reduzindo a pobreza rural: os pequenos agricultores conseguirão obter uma margem de lucro mais elevada que pode ser utilizada não apenas na sua subsistência, e terão também acesso a maiores mais mercados nacionais e internacionais;

  • Promovendo o crescimento de produtos biológicos: todo o café produzido é biológico e certificado, contendo baixos níveis de fertilizantes, químicos e pesticidas;

  • Contribuindo para a proteção da região no Norte do Perú: até agora, o crescimento tem sido principalmente alcançado através da criação de novas áreas para agricultura comercial, o que resulta na destruição da Amazónia, um crescimento que não é sustentável e tem um custo ambiental muito elevado. O projeto permitirá investir em métodos de produção mais eficiente, permitindo aos produtores crescer de forma mais sustentável.

Da Working Capital Associates

  • Contribuindo para a eficiência agrícola e redução da pobreza rural: o acesso aos mercados foi identificado como um dos principais fatores que influenciam o desempenho de pequenos produtores nos países em desenvolvimento, e, desta forma, é um dos potenciadores de eficiência agrícola, sendo vital para reduzir a pobreza rural. A WCA contribuiu ativamente para o maior acesso de pequenos agricultores a mercados nacionais e internacionais;

  • Promovendo a igualdade de géneros: a WCA é liderada por uma mulher; e aplica uma “lente de género” nos seus investimentos, procurando financiar empresas com uma gestão sustentável e responsável que permitam às mulheres crescer no seu ambiente laboral;

Informação do Projeto

O objetivo desta campanha é proporcionar financiamento antecipado a uma Cooperativa composta por 3.200 famílias produtoras de café certificado e biológico, nas montanhas do Norte do Perú, a mais de 1.000 metros de altitude.

Estas famílias (93% das quais são pequenos agricultores, que detêm menos de 5 hectares de terra) estão agregadas numa única entidade de caráter social – uma cooperativa – cujo objetivo é prestar aos agricultores serviços ambientais, sociais e de governação (ESG) de forma a melhorar a sua produtividade e responder às suas necessidades sociais. Estes serviços incluem formação, apoio ao bem-estar, à família e à saúde, e ainda apoio na certificação dos seus negócios como comércio equitativo (fair-trade) e de agricultura biológica.

O crescimento da produção de café biológico nestas regiões aumentou exponencialmente nos últimos 20 anos, posicionando o Perú como um dos principais produtores deste café no mundo (com cerca de 90.000 hectares de solo biológico certificado, o Perú é o segundo maior exportador de café biológico no mundo), um mercado que gera cerca de 1,5 milhões de postos de trabalho, e envolve cerca de 223.000 famílias. Este crescimento não foi, no entanto, totalmente intencional - os produtos contêm níveis baixos de adubos químicos e de pesticidas devido ao custo elevado destes componentes, um custo que os produtores não podiam suportar, mas que os consumidores viam como uma vantagem.

Para atender a esta crescente procura e como consequência de métodos de produção pouco eficientes, o crescimento nestas regiões foi principalmente obtido através da criação de novas áreas de agricultura comercial, provocando a deflorestação da Amazónia, o que torna este crescimento crescimento insustentável, com um custo ambiental muito elevado.

É prática comum no comércio que o prazo de pagamento varie entre 30 a 90 dias a contar da data de emissão da fatura pelo vendedor. Este prazo, que permite ao comprador manter os seus fundos durante mais tempo, penaliza o vendedor, retirando-lhe liquidez. Geralmente, este problema é resolvida com recurso a financiamento bancário, que exige garantias sobre ativos duradouros (ou seja, fábricas, edifícios, máquinas, etc.) em caso de incumprimento. Estas garantias “excessivas” têm muitas vezes um valor substancialmente mais elevado do que o empréstimo em questão. Por exemplo, um empréstimo de 10 dólares poderá exigir um ativo no valor de 150 dólares como garantia em caso de incumprimento. Assim, estes empréstimos raramente resolvem o problema, uma vez que estas garantias raramente estão ao alcance dos pequenos agricultores, cujos únicos ativos são geralmente os seus terrenos.

Os fundos angariados através desta campanha serão utilizados como transactional working capital (capital circulante transacional), garantindo liquidez à Cooperativa. O capital circulante transacional é um ativo financeiro de dívida de curto prazo que permitirá à Cooperativa receber pagamentos antecipados e aos seus clientes atrasar os seus pagamentos. Este empréstimo tem assim as seguintes vantagens:

  • Preços mais elevados: ao eliminar a pressão da liquidez, os produtores deixam de ser obrigados a fornecer descontos ao comprador, em troca de pagamento antecipado, recebendo um preço mais elevado pelo café que reflete o seu valor real;

  • Margem de lucro mais elevada que pode ser reinvestida: com uma margem de lucro mais elevada, este dinheiro garante não só a estabilidade financeira dos produtores, mas pode ser também utilizado para investimento em formação e capacitação, e em custos com a certificação de produção biológica, de comércio justo ("fair trade").

Viabilidade Financeira

O empréstimo obtido através dos investidores da GoParity será pago pelas vendas de café da seguinte forma:

  • O valor do empréstimo é consideravelmente inferior ao montante total financiado pela WCA – o que irá criar uma almofada financeira;

  • O reembolso provém de compradores de mercados ocidentais com histórico de pagamentos bem-sucedidos à Cooperativa durante vários anos;

  • O pagamento do empréstimo é protegido pelo seguro de crédito comercial.

WCA (Working Capital Associates) LLP

Ativo desde
2018
País fiscal
Reino Unido
Com operações em
América Latina e África subsariana
Indústria
Investimento
Empréstimos GoParity
4
Sobre WCA (Working Capital Associates) LLP

A Working Capital Associates (WCA) é a única empresa de financiamento direto às cadeias de valor agrícolas provenientes da África Sub-Sariana e da América Latina fundada e gerida por uma mulher. A empresa segue uma abordagem de investimento que “permite aos investidores abordar questões ambientais, sociais e governamentais (ESG) investindo em soluções ligadas a questões como o investimento em energias renováveis, gestão de água e resíduos, silvicultura e agricultura sustentável, assim como produtos de saúde e financiamentos inclusivos” (PRI). A empresa tem duas grandes precoupações:

A WCA aplica também uma “lente de género” nos seus investimentos, no sentido em que procura financiar projetos liderados por mulheres ou que asseguram uma gestão sustentável e responsável que permita às mulheres crescer profissionalmente. O objetivo da empresa é promover o desenvolvimento das cadeias de valor através do financiamento de PMEs, num quadro de três Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS): ODS 2 – Erradicar a fome, atingir a segurança alimentar e promover a agricultura sustentável; ODS 12 – Assegurar padrões de consumo e produção sustentáveis e ODS 8 – Promover o crescimento sustentável e inclusivo da economia, o emprego e trabalho decente para todos.

A equipa é composta por dez profissionais, sendo que os membros executivos sénior têm mais de dez anos de experiência em mercados emergentes e/ou mercados financeiros que, no total, já financiaram mais de mil milhões de dólares em operações de dívida de curto prazo e em mercados emergentes.

Federica Sambiase – Cofundadora e CEO

Andrew Darling – Diretor de Operações e Estruturação

Jorge Luis Cerna Coronado – Encarregue das Relações na América Latina

Gathuo Njoroge - Encarregue das Relações na África Subsaariana

Alison Durrant

Alain Nsiona Defise – Membro não-executivo do Conselho de Administração

Gaëlle Bonnieux - Membro não-executivo do Conselho de Administração

Guido Boysen - Membro não-executivo do Conselho de Administração

Matteo Atti – Membro não-executivo do Conselho de Administração

A partir de janeiro de 2021 - Tineyi Mawocha – Membro não-executivo do Conselho de Administração

Pode saber mais sobre a equipa aqui.

O Modelo de Negócio

A WCA está sediada em Londres, e registada ao abrigo do Regulamento de Prevenção do Branqueamento de Capitais e Financiamento do Terrorismo de 2017. A WCA é uma empresa financeira, angariando fundos (sob forma de empréstimos e/ou de coinvestimentos, tradicionalmente, instituições de financiamento para o desenvolvimento, fundos de crédito ou investidores privados), que empresta depois a empresas nos seus mercados-alvo. As suas receitas provêm da margem de juro líquida entre os juros recebidos dos mutuários e os juros pagos aos investidores.

O mercado-alvo da empresa é constituído por 2 milhões de PMEs em África (1,6 milhões) e na América Latina (0,4 milhões) com limitações de financiamento. Especificamente, a empresa tem operações no Perú, Costa Rica, Colômbia, Equador, Quénia, Ruanda, Tanzânia e Etiópia, com preferência por cadeias de valor da indústria alimentar.

A empresa adapta os seus serviços às pequenas e médias empresas com dificuldades de financiamento – aproximadamente 58% dos pedidos de financiamento transacional são rejeitados pelos bancos apesar do setor, globalmente, representar 44% das propostas de financiamento transacional. Existem três razões específicas para que os bancos rejeitem uma tal percentagem de pedidos: requisitos KYC/AML impostos pelos reguladores demorados e complexos, requisitos de capital muito elevados de tal forma que o financiamento a curto-prazo às empresas com menos notação não é rentável; e limitações no capital dos bancos.

A WCA segue os Princípios para o Investimento Responsável baseado nos Dez Princípios do Compacto Global das Nações Unidas:

Para além disso, a WCA estabeleceu normas ESG relacionadas com investimentos em setores e produtos controversos. A empresa considera que certas indústrias, países e/ou setores não são compatíveis com os princípios da mesma, pelo que se abstém de financiar instituições que não estão alinhadas com o seu compromisso de sustentabilidade, como é o caso da indústria do tabaco.

Trajetória

A WCA foi fundada em 2018 por Federica Sambiase, uma profissional com experiência na indústria financeira que também é CEO da empresa, e que experienciou em primeira mão o modo como os bancos comerciais tradicionais estão adaptados às necessidades das PMEs, especialmente em regiões como a África Subsaariana e a América Latina, onde a necessidade de crédito está a aumentar rapidamente.

A visão da WCA combina os mais de 20 anos de experiência da Federica à sua paixão pela igualdade de género e pelo desenvolvimento, paixão amadurecida enquanto membro do Concelho de Administração da ONG Care International.

Atualmente, a WCA é constituída por uma equipa de dez pessoas, que ocupam cargos executivos e não executivos.

De julho a novembro de 2020 (os primeiros cinco meses do ano fiscal da WCA), a empresa implementou com sucesso programas de financiamento de cadeias agrícolas que contribuíram para a produção de mais de 400 toneladas de café sustentável certificado e 120 toneladas de cacau, com um valor total de mais de 2 milhões de dólares em acordos comerciais, tendo atingido USD 15,000 de receita.

À data de hoje, a empresa tem um portefólio de cerca de 5 milhões de dólares de financiamento na África Subsaariana e na América Latina, a ser implementados nos primeiros e segundo trimestres de 2020. Desde o seu lançamento, já executou mais de 1 milhão de dólares de financiamento a mais de dez fornecedores do setor agricultura de vários países, incluindo a Argentina, o Uruguai, a China, os Estados Unidos da América e a África do Sul. Todos os programas foram pagos de volta na sua totalidade.

A WCA foi igualmente reconhecida como um ator relevante na indústria, o que é demonstrado por:

1. Parceria com o Centro Internacional do Comércio das Nações Unidas, no contexto das suas atividades de apoio ao comércio centrado no género.

2. Parceria com a Câmara de Comércio do Quénia.

3. Convite para falar num painel no Fórum Mundial de Desenvolvimento do Comércio na Etiópia.

4. Convite para falar num painel na Semana da Sustentabilidade Suíça.

5. Convite para falar num painel na East Africa Coffee Annual Summit - Kenya.

Rating Promotor: B+

Garantias

WCA (Working Capital Associates) LLP

Ativo desde
2018
País fiscal
Reino Unido
Com operações em
América Latina e África subsariana
Indústria
Investimento
Empréstimos GoParity
4
Sobre WCA (Working Capital Associates) LLP

A Working Capital Associates (WCA) é a única empresa de financiamento direto às cadeias de valor agrícolas provenientes da África Sub-Sariana e da América Latina fundada e gerida por uma mulher. A empresa segue uma abordagem de investimento que “permite aos investidores abordar questões ambientais, sociais e governamentais (ESG) investindo em soluções ligadas a questões como o investimento em energias renováveis, gestão de água e resíduos, silvicultura e agricultura sustentável, assim como produtos de saúde e financiamentos inclusivos” (PRI). A empresa tem duas grandes precoupações:

A WCA aplica também uma “lente de género” nos seus investimentos, no sentido em que procura financiar projetos liderados por mulheres ou que asseguram uma gestão sustentável e responsável que permita às mulheres crescer profissionalmente. O objetivo da empresa é promover o desenvolvimento das cadeias de valor através do financiamento de PMEs, num quadro de três Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS): ODS 2 – Erradicar a fome, atingir a segurança alimentar e promover a agricultura sustentável; ODS 12 – Assegurar padrões de consumo e produção sustentáveis e ODS 8 – Promover o crescimento sustentável e inclusivo da economia, o emprego e trabalho decente para todos.

A equipa é composta por dez profissionais, sendo que os membros executivos sénior têm mais de dez anos de experiência em mercados emergentes e/ou mercados financeiros que, no total, já financiaram mais de mil milhões de dólares em operações de dívida de curto prazo e em mercados emergentes.

Federica Sambiase – Cofundadora e CEO

Andrew Darling – Diretor de Operações e Estruturação

Jorge Luis Cerna Coronado – Encarregue das Relações na América Latina

Gathuo Njoroge - Encarregue das Relações na África Subsaariana

Alison Durrant

Alain Nsiona Defise – Membro não-executivo do Conselho de Administração

Gaëlle Bonnieux - Membro não-executivo do Conselho de Administração

Guido Boysen - Membro não-executivo do Conselho de Administração

Matteo Atti – Membro não-executivo do Conselho de Administração

A partir de janeiro de 2021 - Tineyi Mawocha – Membro não-executivo do Conselho de Administração

Pode saber mais sobre a equipa aqui.

O Modelo de Negócio

A WCA está sediada em Londres, e registada ao abrigo do Regulamento de Prevenção do Branqueamento de Capitais e Financiamento do Terrorismo de 2017. A WCA é uma empresa financeira, angariando fundos (sob forma de empréstimos e/ou de coinvestimentos, tradicionalmente, instituições de financiamento para o desenvolvimento, fundos de crédito ou investidores privados), que empresta depois a empresas nos seus mercados-alvo. As suas receitas provêm da margem de juro líquida entre os juros recebidos dos mutuários e os juros pagos aos investidores.

O mercado-alvo da empresa é constituído por 2 milhões de PMEs em África (1,6 milhões) e na América Latina (0,4 milhões) com limitações de financiamento. Especificamente, a empresa tem operações no Perú, Costa Rica, Colômbia, Equador, Quénia, Ruanda, Tanzânia e Etiópia, com preferência por cadeias de valor da indústria alimentar.

A empresa adapta os seus serviços às pequenas e médias empresas com dificuldades de financiamento – aproximadamente 58% dos pedidos de financiamento transacional são rejeitados pelos bancos apesar do setor, globalmente, representar 44% das propostas de financiamento transacional. Existem três razões específicas para que os bancos rejeitem uma tal percentagem de pedidos: requisitos KYC/AML impostos pelos reguladores demorados e complexos, requisitos de capital muito elevados de tal forma que o financiamento a curto-prazo às empresas com menos notação não é rentável; e limitações no capital dos bancos.

A WCA segue os Princípios para o Investimento Responsável baseado nos Dez Princípios do Compacto Global das Nações Unidas:

Para além disso, a WCA estabeleceu normas ESG relacionadas com investimentos em setores e produtos controversos. A empresa considera que certas indústrias, países e/ou setores não são compatíveis com os princípios da mesma, pelo que se abstém de financiar instituições que não estão alinhadas com o seu compromisso de sustentabilidade, como é o caso da indústria do tabaco.

Trajetória

A WCA foi fundada em 2018 por Federica Sambiase, uma profissional com experiência na indústria financeira que também é CEO da empresa, e que experienciou em primeira mão o modo como os bancos comerciais tradicionais estão adaptados às necessidades das PMEs, especialmente em regiões como a África Subsaariana e a América Latina, onde a necessidade de crédito está a aumentar rapidamente.

A visão da WCA combina os mais de 20 anos de experiência da Federica à sua paixão pela igualdade de género e pelo desenvolvimento, paixão amadurecida enquanto membro do Concelho de Administração da ONG Care International.

Atualmente, a WCA é constituída por uma equipa de dez pessoas, que ocupam cargos executivos e não executivos.

De julho a novembro de 2020 (os primeiros cinco meses do ano fiscal da WCA), a empresa implementou com sucesso programas de financiamento de cadeias agrícolas que contribuíram para a produção de mais de 400 toneladas de café sustentável certificado e 120 toneladas de cacau, com um valor total de mais de 2 milhões de dólares em acordos comerciais, tendo atingido USD 15,000 de receita.

À data de hoje, a empresa tem um portefólio de cerca de 5 milhões de dólares de financiamento na África Subsaariana e na América Latina, a ser implementados nos primeiros e segundo trimestres de 2020. Desde o seu lançamento, já executou mais de 1 milhão de dólares de financiamento a mais de dez fornecedores do setor agricultura de vários países, incluindo a Argentina, o Uruguai, a China, os Estados Unidos da América e a África do Sul. Todos os programas foram pagos de volta na sua totalidade.

A WCA foi igualmente reconhecida como um ator relevante na indústria, o que é demonstrado por:

1. Parceria com o Centro Internacional do Comércio das Nações Unidas, no contexto das suas atividades de apoio ao comércio centrado no género.

2. Parceria com a Câmara de Comércio do Quénia.

3. Convite para falar num painel no Fórum Mundial de Desenvolvimento do Comércio na Etiópia.

4. Convite para falar num painel na Semana da Sustentabilidade Suíça.

5. Convite para falar num painel na East Africa Coffee Annual Summit - Kenya.

Rating Promotor: B+

Garantias

Estado dos Pagamentos: Em cumprimento

2020-11-03

100% financiado

236 investidores angariaram 100.000€

2020-10-26

Aberto a investimento

Esta campanha está aberta para investimento

Estado dos Pagamentos: Em cumprimento

2020-11-03

100% financiado

236 investidores angariaram 100.000€

2020-10-26

Aberto a investimento

Esta campanha está aberta para investimento